Arquivo para janeiro, 2010

06/02/2010 – Jornada de Bioética em Niterói

Posted in Ação Solidária, Bento XVI, Cultura, Direito, Direito à Vida, Educação, espiritualidade, Evento, In Corpore Sano, Papado, Senso Religioso with tags , , , , , , , on 29/01/2010 by ehlsinore

Quem é a Profª Drª Lenise Garcia? Artigo e breve currículo em Universidade de Brasília – Notícias

(clique no convite acima para ampliá-lo)

Anúncios

Inaugurada nova exposição permanente do MAI e aberto concurso público na área de museus

Posted in Brasilidade, Cultura, Dica, Educação, Identidade, Patrimônio with tags , , , , , , , , , on 29/01/2010 by ehlsinore

Niterói (RJ): Percursos do Tempo – Revelando Itaipu em EXPOSIÇÃO no Museu de Arqueologia de Itaipu (MAI)

Em 27/10/2010 (4ª feira) às 19h, com coquetel, foi inaugurada a nova exposição permanente do Museu de Arqueologia de Itaipu (MAI) reabrindo o espaço da antiga capela do Recolhimento de Santa Teresa onde se pode ver a mostra (na foto parcial diurna das ruínas do Recolhimento focalizando a entrada da capela).

Visitação: 3ª a 6ª feira das 10h às 17h;  sábados, domingos e feriados: das 9h às 17h.
Visitas orientadas: segunda a sexta, 9h às 17h.

Museu de Arqueologia de Itaipu – Setor Educativo
Praça de Itaipu, s/n – Itaipu – Niterói-RJ
Telefones: (21) 3701.2994 / 3701.2966

Mais sobre a exposição que revela os traços da ocupação humana em Itaipu e suas manifestações culturais desde a Pré-história brasileira até os dias atuais, passando pelo período de existência do Recolhimento criado em 1764: www1.museus.gov.br

Ainda sobre MUSEUS, concurso público: o IBRAM (Instituto Brasileiro de Museus), órgão do Ministério da Cultura que administra museus em todo o país, anuncia concurso público para selecionar profissionais (níveis médio e superior completos) a fim de preencher 294 vagas em várias cidades do Brasil.

Os salários variam de R$ 2.133,22 a R$ 3.012,82. Os cargos disponíveis são: Assistente Técnico I, Analista I, Técnico em Assuntos Educacionais e Técnico em Assuntos Culturais.


ATENDIMENTO A CANDIDATOS – TELEFONES:
(61) 3328-5331 / (21) 2621-0966

Período de inscrição:
Internet: 21/01/2010 – 10:00 até 23/02/2010 às 23:59h.
Agências dos Correios: 25/01/2010 até 17/02/2010 (vide editais e programa).


Santo Tomás de Aquino: de 7 de março para 28 de janeiro

Posted in Cultura, Pintura, Santidade with tags , , , , , , , , , , , , , , , on 28/01/2010 by ehlsinore

Thomas Aquinas contemplating Jesus, crucified detail of painting by Fra Angelico

Joos van Ghent. Thomas Aquinas (c. 1474, Urbino, The National Gallery of The Marches?)

fra-angelico-crucifixion

The Apotheosis of Thomas Aquinas

Gozzoli's Triumph of St. Thomas Aquinas

Francesco Traini, The Triumph of St. Thomas Aquinas, ca. 1349 , Tempera on wood, 375 x 258 cm., Santa Caterina, Pisa

The Temptation of St. Thomas Aquinas, Diego Rodriguez de Silva y Velazquez (1599-1660), Oil Painting Reproduction on Canvas

Santo Tomás subiu aos céus em 7 de março de 1274, após 49 anos de peregrinação terrestre, interrompendo na Abadia de Fossanova, a viagem que fazia para participar do Concílio de Lião (Lyon) e nesse dia a sua memória era venerada, desde a proclamação de sua santidade (em 18/07/1323) até a reforma do calendário litúrgico promovida após o Concílio Vaticano II.  A partir daí, em razão de frequentemente cair a celebração em período quaresmal, se decide por sua mudança para o dia 28 de janeiro, pois nele, em 1369, o seu corpo foi trasladado definitivamente para Toulouse (França) e, em 1567, o Papa Paulo V o declarou Doutor da Igreja.

Dele disse João XXII quando de sua canonização: “Ele fez tantos milagres, quantas proposições teológicas escreveu”.

Uma realidade que se transforma de dentro:

Posted in Ação Solidária, Cultura, Dica, Educação, Inclusão Social on 22/01/2010 by ehlsinore

CAMINHANDO JUNTOS

Ladeira dos Tabajaras, Morro dos Cabritos, Copacabana, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

(Associazione Volontari per il Servizio Internazionale / Associação de Voluntários para o Serviço Internacional)

Curiosidade matemática: professor da UFF descobriu uma nova superfície geométrica mínima!

Posted in História da Ciência with tags , , , , , , , , , , , on 20/01/2010 by ehlsinore

Clique na imagem pra ler a matéria completa da descoberta na revista Galileu (desenho de Alexandre Camanho).

Superfície Costa é um objeto 3D que possui algumas particularidades matemáticas. Ela é uma das “superfícies mínimas” (a superfície mínima é, em Matemática, uma superfície em que fixados todos os pontos do bordo, quaisquer dois pontos são ligados por infinitas curvas, sendo que uma delas é uma catenária).

Foi descoberta em 1982, pelo matemático brasileiro Celso Costa, como parte de sua tese de doutorado no IMPA.

Celso Costa Lopes é especialista em Geometria Diferencial (a sua descoberta da superfície que leva o seu nome resolveu um problema na área com 206 anos de existência) e em Educação à Distância (professor da Universidade Federal Fluminense, está atualmente cedido ao MEC, onde ocupa a função de Coordenador Geral da Universidade Aberta do Brasil - UAB)

Em 1984 J. Hoffman, D. Hoffman e W. W. Meeks, da Universidade de Massachusetts, conseguiram criar sua imagem computacional.

Os únicos exemplares de sua classe conhecidos até então eram o catenóide (Leonhard Euler, 1760), o helicóide (Meusnier, 1776) e o plano.

A idéia surgiu no começo dos anos 80, quando o brasileiro estava no cinema. “Eu assistia a um filme sobre escola de samba e um sambista desfilava com um bizarro chapéu de três abas. Naquele momento tive a inspiração crucial e final do modo como a figura geométrica da superfície que eu buscava se apresentava no espaço.” No século 18, quando tiveram início as pesquisas sobre esse tema, foram descritas três superfícies mínimas: o plano, o catenóide e o helicóide. Depois disso, ninguém tinha descoberto, até Celso Costa, nenhuma outra mais.

Ainda, segundo a revista Galileu: “O material utilizado nos primeiros trabalhos era a película de sabão, que acabou sendo útil para a construção da teoria matemática sobre essas superfícies.

E aquela mistura de água com sabão e a argola que se usa para soltar bolhas no ar ainda pode ser usada para explicar o que são superfícies mínimas. A película que se forma na argola antes que ela seja movimentada no ar é a primeira das superfícies mínimas: o plano.

A segunda (catenóide) é obtida quando assopramos a argola e a película forma um bojo, antes de chegar a se fechar em bola.

Devemos imaginar que a borda inicial formada pela argola seja mantida, ou

Catenóide descoberto em 1740 pelo matemático alemão Leonhard Euler (1707-1783).

Helicóide descoberto por Meusnier em 1776 (desenho de Alexandre Camanho).

seja, a superfície é limitada pelas duas bordas e vazada.  A terceira (helicóide) é obtida se deformarmos a argola em forma de hélice.

As formas que a película vai adquirir no espaço são as superfícies mínimas, ou as superfícies de menor área que cobre um determinado bordo (nesse caso, a argola).”

(Dica dessa genial curiosidade: Stela Guerreiro)

O Haiti e a experiência de vida cristã

Posted in Ação Solidária, Bento XVI, espiritualidade, Globalização, Inclusão Social, Iniciativas pela Paz, Senso Religioso on 19/01/2010 by ehlsinore
O aspecto espiritual do sofrimento no Haiti
A tragédia pode conduzir a uma maior fé em Deus

Carl Anderson*

NEW HAVEN, EUA, 19/jan/2010 (ZENIT.org). – Nos últimos dias, todos nós estivemos horrorizados pelas cenas de morte e destruição no Haiti. Milhões de nós buscam formas de aliviar o sofrimento do povo haitiano. (…)

Nos EUA, uma das “explicações” mais controversas veio de um pastor protestante, que sustenta que o Haiti teria sido “amaldiçoado” no momento em que seus fundadores teriam “firmado um pacto com o demônio” para obter a independência da França. Tais comentários, como se pode imaginar, suscitaram uma enorme controvérsia.

No Antigo Testamento há muitos relatos de nações punidas por Deus por pecados como a idolatria e a injustiça, e alguns cristãos continuam a recorrer a estas histórias para explicar eventos mundiais.

Os católicos de hoje, porém, olham numa direção diferente quando buscam compreender como Deus lida com nossa condição de pecadores. Seu olhar não precisa ir além do crucifixo sobre o altar de suas igrejas. Deus ligou-se livre e amavelmente ao sofrimento humano com o sacrifício de Seu Filho na cruz.

Estes evangélicos que citam com tanta freqüência João 3:16 deveriam também lembrar do que diz o versículo seguinte: “Pois Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele”.

A tragédia no Haiti deixará, provavelmente, efeitos de longo prazo, não apenas para aqueles que perderam seus entes queridos, mas para toda uma geração que testemunhou tamanha destruição. É importante que compreendamos o significado profundo do que ocorreu no Haiti.

Muitos informes têm comparado os eventos no Haiti à recente devastação provocada pelo furacão Katrina nos EUA, ou com o terremoto ocorrido na Cidade do México em 1985. Mas a tragédia do Haiti tem probabilidade de provocar um impacto psicológico de longo prazo, tal qual o terremoto ocorrido em Lisboa em 1775. Este último foi seguido de um tsunami e de um grande incêndio que se alastrou por toda a cidade, matando um milhão de pessoas.

A catástrofe ocorrida em Lisboa mudou a forma de pensar de muitos intelectuais influentes do século 18, incluindo Voltaire, Kant e Descartes. O terremoto ocorreu durante a Festa de Todos os Santos num país de maioria católica, o que fez com que muitos cristãos europeus colocassem em dúvida sua própria fé em Deus.

Nos próximos dias, é possível que sejamos testemunhas de um processo similar. Por isso, o Haiti representa hoje um teste para nossa fé e nosso comprometimento com nossos irmãos.

Pensando no Haiti ao longo dessa semana, não pude deixar também de pensar na obra do padre Damião de Molokai, “o apóstolo dos leprosos”, recentemente canonizado por Bento XVI. Há muitos anos, tive a oportunidade de visitar Molokai, no Havaí, e enquanto visitava a paróquia, vi a fotografia de uma anciã tirada nos anos 30. Havia perdido as orelhas, o nariz, os dedos dos pés e das mãos com a lepra. Estava também cega. Mesmo assim, todos os dias, recitava o rosário segurando-o entre os dentes.

Não muito tempo depois, eu falava com um sacerdote missionário que havia aberto um abrigo para doentes de lepra. Todos os dias, enquanto celebrava a missa, um ancião, também cego devido à doença, dizia durante a oração dos fiéis: “Deus Pai, te agardeço por todas as coisas boas que me concedeu”.

(…) a melhor resposta (…) vem daqueles cujo sofrimento vai além do que somos capazes de imaginar, e ainda assim, são capazes de viver a realidade de que Deus uniu-se a eles em seu sofrimento.

Na homilia pronunciada na missa de canonização de padre Damião, o Papa disse que “Jesus convida seus discípulos a doarem totalmente suas vidas, sem ponderações ou ganhos pessoais, com confiança irrestrita em Deus. Os santos atendem a esse chamado, e se colocam com doce humildade, a seguir Jesus crucificado e assunto aos céus”.

“Sua perfeição, numa lógica de fé que às vezes pode parecer incompreensível, consiste em não colocar mais a si mesmos no centro, mas em optar por andar contra a correnteza, vivendo segundo o Evangelho”.

Esta é a chave para compreender os eventos de Molokai e do Haiti. E será esta a medida de nossa resposta como cristãos.

———-

*Carl Anderson é escritor e cavaleiro supremo da Ordem dos Cavaleiros de Colombo, grifos meus.

Para ajudar o Haiti (ongs que já atuavam e atuam no país, testemunho direto e notícias do que ocorre): http://www.avsi.org/ (em português: http://www.avsibahia.org.br)

http://www.cesal.org/

http://www.msf.org.br/haiti/

Em pdf, mais um instrumento para compreender e ajudar: HaitiBR

Cientistas conseguem dar nó em feixe de luz

Posted in História da Ciência with tags , , , , , on 19/01/2010 by ehlsinore

Nó em feixe de luz foi possível graças a teoria abstrata da matemática (Foto: Universidade de Bristol/Divulgação)

[BBC Brasil, 19/jan/2010, 09:14h (Brasília), 11:14h GMT] Uma equipe de físicos britânicos conseguiu dar vários nós em feixes de luz, em uma experiência inédita relatada em artigo na revista científica Nature Physics [Jan. 2010 – Vol.N.º 1,  edição on line datada do último dia 17].

Segundo o especialistas, o feito foi possível graças à chamada “Teoria dos Nós”, um ramo da matemática abstrata inspirado nos nós cotidianos, como os de cordas e sapatos.

“Em um feixe, o fluxo de luz no espaço é semelhante ao das águas de um rio”, explicou Mark Dennis, da Universidade de Bristol e principal autor do estudo. “Apesar de correr em uma linha reta, a luz também pode fluir em voltas e redemoinhos, formando linhas no espaço chamadas de vórtices ópticos.”

“Ao longo desses vórtices, a intensidade da luz é zero. Toda a luz à nossa volta é cheia dessas linhas negras, apesar de não podermos vê-las”, disse.

Laser

Vórtices ópticos podem ser criados com hologramas que direcionam o fluxo de luz.

Neste estudo, a equipe desenhou hologramas usando a teoria dos nós. E com esses hologramas, conseguiram criar nós em vórtices ópticos.

Para os cientistas, a compreensão de como controlar a luz tem importantes implicações para a tecnologia a laser usada em vários campos, da medicina à indústria.

“O sofisticado desenho de hologramas necessário para a nossa experiência mostra um avançado controle óptico, o que pode sem dúvida vir a ser usado em futuros aparelhos a laser”, disse Miles Padgett, da Universidade de Glasgow.